quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

RÒTULOS - Jeni Cabrera



Quantas  normas e nomes tenho de guardar, quantos gestos incompletos tenho de incenar...
 Não sou um rótulo, sou sujo, sou verme... me colocam tantas suposições , e  “morro” , como tenho de ser tão perecível. 
O dia se faz novo, nem tão bonito, ou melancólico como ontem...mas renasce e os fardos de ontem já estão mais leves.
Nada faço pelo eterno...
Porque escrevo aqui.? Pelo mesmo motivo que me mata com coca-cola no boteco da esquina.



Nenhum comentário:

Postar um comentário